Os Ramones e “Blitzkrieg Bop”

Foi depois de ouvir “Saturday Night” que os integrantes dos Ramones não pensaram duas vezes: queriam criar o seu próprio grito de guerra, tão cativante quanto a canção do Bay City Rollers. Assim nasceu o refrão mais famoso do Rock, Hey, Ho, Let’s Go!.

Joey Ramone declarou, “Naquela ocasião nós realmente gostávamos de música chiclete, curtíamos de verdade do Bay City Rollers. A canção deles, ‘Saturday Night’ tinha um belo refrão, então nós queríamos que o ‘Hey, Ho, Let’s Go!’ de ‘Blitzkrieg Bop’ fosse o nosso ‘Saturday Night'”.

Já o baterista, Tommy Ramone, disse: “Eu escrevi ‘Blitzkrieg Bop’, mas Dee Dee contribuiu com o título e mudou uma linha'”.

Clássico instantâneo, “Blitzkrieg Bop” foi o primeiro single dos Ramones, lançado em abril de 1976. É também a faixa de abertura do álbum de estreia da banda. Nada mal para um começo.

O reggae dos Rolling Stones

“Cherry Oh Baby” foi lançada em 1976 no álbum Black and Blue, marcando um raro retorno do grupo ao mundo dos covers (algo que eles praticamente abandonaram depois dos anos 1960).

A composição é de Eric Donaldson, e data de 1971. A versão dos Stones foi gravada em 1973, nas sessões do álbum Goats Head Soup, na Jamaica.

Ao longo da produção de Black and Blue, a banda pôde fazer o primeiro registro sonoro com o novo guitarrista, Ron Wood, na faixa “Hey Negrita”. Em outros takes, as seis cordas eram revezadas entre os integrantes.

Ouça a versão original de “Cherry Oh Baby”, com Eric Donaldson:

Charlie Watts certa vez declarou:

A influência do Reggae nas músicas de Black And Blue vieram principalmente de Keith (…) Mick certamente estava focado no reggae. Eu tinha todas as gravações (de reggae) comigo quando nos mudamos para a França e quando estávamos gravando faixas para o Exile On Main Street, na casa de Keith. Eu tocaria “Cherry Oh Baby” para ele ou ele a tocaria para mim. The Harder They Come foi um álbum que Keith ouvia muito.

É verdade que a versão dos Stones é meio quadradona, mas vale pela curiosidade. A faixa ainda contou com Mr. Billy Preston nos teclados.

Bônus: Uma raríssima gravação ao vivo da canção, captada em 1976 na França: