Os Ramones e “Blitzkrieg Bop”

Foi depois de ouvir “Saturday Night” que os integrantes dos Ramones não pensaram duas vezes: queriam criar o seu próprio grito de guerra, tão cativante quanto a canção do Bay City Rollers. Assim nasceu o refrão mais famoso do Rock, Hey, Ho, Let’s Go!.

Joey Ramone declarou, “Naquela ocasião nós realmente gostávamos de música chiclete, curtíamos de verdade do Bay City Rollers. A canção deles, ‘Saturday Night’ tinha um belo refrão, então nós queríamos que o ‘Hey, Ho, Let’s Go!’ de ‘Blitzkrieg Bop’ fosse o nosso ‘Saturday Night'”.

Já o baterista, Tommy Ramone, disse: “Eu escrevi ‘Blitzkrieg Bop’, mas Dee Dee contribuiu com o título e mudou uma linha'”.

Clássico instantâneo, “Blitzkrieg Bop” foi o primeiro single dos Ramones, lançado em abril de 1976. É também a faixa de abertura do álbum de estreia da banda. Nada mal para um começo.

O último show dos Ramones na América do Sul

Image and video hosting by TinyPic

No dia 16 de março de 1996, os Ramones fizeram aquele que seria último o show do grupo na América do Sul. Após 22 anos de estrada e várias mudanças na formação, Joey, Johnny, Marky e CJ levaram a turnê ¡Adios Amigos! para quarenta e cinco mil pessoas no estádio do River Plate, em Buenos Aires (com Iggy Pop, Die Toten Hosen, Dos Minutos e Attaque 77 como bandas de abertura). No setlist, uma verdadeira viagem pela trajetória do quarteto ao longo de 34 faixas (com exceção de Halfway to Sanity, todos os álbuns foram revisitados, com destaque para Rocket to Russia).

Image and video hosting by TinyPic

Abaixo, vocês assistem ao show completo, com transmissão da TV argentina.

Setlist
01. Durango 95
02. Teenage Lobotomy
03. Psycho Therapy
04. Blitzkrieg Bop
05. Do You Remember Rock ‘N’ Roll Radio?
06. I Believe In Miracles
07. Gimme Gimme Shock Treatment
08. Rock ‘N’ Roll High School
09. I Wanna Be Sedated
10. Spiderman
11. The KKK Took My Baby Away
12. I Don’t Want To Grow Up
13. I Just Want To Have Something To Do
14. Sheena Is A Punk Rocker
15. Rockaway Beach
16. Pet Sematary
17. Strength To Endure
18. Cretin Family
19. Do You Wanna Dance?
20. Somebody Put Something In My Drink
21. Surfin’ Bird
22. Wart Hog
23. Cretin Hop
24. R.A.M.O.N.E.S.
25. Today Your Love, Tomorrow The World
26. Pinhead
27. The Crusher
28. Poison Heart
29. We’re A Happy Family
30. My Back Pages
31. 53rd & 3rd
32. Beat On The Brat
33. Chinese Rock
34. Have You Ever Seen The Rain

Observação fundamental: Inicialmente, o show em questão seria o último da carreira dos Ramones, que mudaram os planos aos quarenta e cinco do segundo tempo, esticando a turnê pelos EUA até 6 de agosto do mesmo ano, encerrando de vez as atividades no Palace, em Hollywood, com diversos convidados especiais (Eddie Vedder, Lemmy Kilmister, Tim Armstrong e Lars Frederiksen [Rancid], Chris Cornell e Dee Dee Ramone).

Patti Smith e o último show do CBGB

Degenerando Neuronios

No dia 15 de outubro de 2006, Patti Smith fez o último show da história do CBGB. O clube encerrou as atividades após uma longa disputa entre o proprietário, Hilly Kristal, e o Comitê de Residentes do Bowery (Bowery Residents Committee).

O repertório da apresentação incluiu “Marquee Moon” (Television), “The Tide is High” (Blonde), “Sonic Reducer” (Dead Boys), “Pale Blue Eyes” (The Velvet Underground) e até mesmo um medley de canções dos Ramones, liderado pelo guitarrista Lenny Kaye (que alterou a frase It’s the end of the century, de “Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio?”, para It’s the end of CBGB).

Ironicamente, uma das condições para bandas e artistas que pretendiam se apresentar na casa era justamente priorizar o repertório autoral. Uma belíssima exceção para a poetisa do punk, que tocou durante três horas, reverenciando o maior número possível de grupos que iniciaram suas trajetórias no palco do CBGB.

Abaixo, uma sequência de vídeos gravados na despedida do lendário clubinho.

Uma rápida história sobre “End of the Century”, quinto álbum de estúdio dos Ramones

Após o lançamento do filme Rock ‘n’ Roll High School (protagonizado pelos integrantes da banda) e do conceituado álbum ao vivo It’s Alive, os Ramones se aproximaram do produtor Phil Spector (Beatles, Beach Boys, entre outros), que assumiu a tarefa de conduzir o próximo LP do grupo.

Seria a primeira experiência verdadeiramente profissional de Joey, Johnny, Dee e Marky, que até então só gravavam discos como se fossem ao vivo.

Tudo começou em 1 de maio de 1979. Aos poucos, o perfeccionismo imposto por Spector começou a irritar o guitarrista Johnny, que chegou a repetir 50 takes da faixa “Rock ‘n’ Roll High School”. Mas talvez o mais perseguido pelo novo produtor tenha sido o baixista Dee Dee, que viu boa parte de seus arranjos excluídos do resultado final das gravações, que passaram por cinco estúdios diferentes (Gold Star, Excalibur, Devanshire, Salty Dog e Original Sounds).

Apesar da experiência traumática, End of the Century foi bem recebido pela crítica, que captou a técnica de Phil Spector nas novas canções dos Ramones.

O disco alcançou a 44ª posição das paradas musicais dos EUA (cravando o 14º lugar no Reino Unido). Destaque para o single “I Love You”, número 8 no Top 10 britânico, se tornando o maior sucesso comercial do grupo até o momento.

Foi a primeira e única parceria entre os Ramones e Phil Spector, que ganhou as prateleiras no dia 4 de fevereiro de 1980. Abaixo, você fica com a íntegra disco.

A reação de Lou Reed ao ouvir The Ramones pela primeira vez

“That’s rock ‘n’ roll. They really hit where it hurts. They are everything everybody worried about — every parent would freeze in their tracks if they heard this stuff.”

– Lou Reed, sobre os Ramones.

Quem fez a ponte entre Lou Reed e a música dos Ramones foi Danny Fields, jornalista do New York Times e uma das figuras mais importantes do punk nova-iorquino. Já a gravação que vocês ouvem aqui foi extraída do documentário Danny Says, do diretor Brendan Toller, que pretende fazer o grande lançamento na edição 2015 do festival SXSW.

Fonte: The New York Times